TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

CONTRACANTO: FANTASIA

Ainda no ciclo 'Salvador',  duas semanas antes do "Todo dia", 
publicado em 23 de julho, tinha composto este soneto no 
mesmo clima nostálgico, agravado pela alegria ao redor, pois 
tudo era festa, ainda se respirava o carnaval na semana que 
findava. 

Note-se que a ausência é um verdadeiro "tempero" sobre os 
sentimentos, pelo menos na poesia, pois tudo então que vem 
à memória surge mais colorido, mais doce, mais bonito e mais 
forte. Qual o prato que comemos agora tem o sabor da comida 
preparada pela mamãe? A memória tem seus mistérios! 

Junte-se a solidão desse jovem num quarto de hotel à alegria 
reinante do lado de fora e terá um reflexo da tristeza rondante 
à essa mente. 

A imaginação, porém, corre a remediar a situação, suprindo 
os elementos faltantes à essa realidade. Os personagens vão 
desfilando no carnaval íntimo da criatura, formando enredos 
com brilho e harmonia, acompanhando o ritmo da percussão 
do coração. 


FANTASIA  
tesco
(Salvador, 1980.02.23)

Nas horas tristes desta solidão 
Vejo teu vulto amado à minha frente,  
E uma sensação tão diferente 
Então me abraça e envolve de emoção.  

Pois não sou eu aquele que, ausente, 
Estaca à falta de imaginação;  
Os seus sentidos entorpece em vão; 
Desfaz em vácuo e brumas o que sente.  

E faço assim o tudo que me pede 
Meu coração que se aí despede; 
Refaço rumos que então traçara.  

Meu sentimento, que a tudo excede, 
Reluz em sonho de cristal, que mede 
Toda a magia da ilusão mais cara.  

    ***   ***   ***   

Os sonhos de cristal não estão apenas nos anseios dessas
princesinhas d
e contos de fada, eles aparecem onde forem
convocados. Até onde 
não são chamados se apresentam,
porque não iriam ali, onde 
a poesia os conclamava? 

Nesse tempo eu achava que era melhor permanecer sozinho
compondo 
sonetos do que estar num bar, bebendo cervejas
e conversando 
potocas com pseudos amigos. 

E ainda acho. 

Abraço do tesco. 

6 comentários:

CÉU disse...

Olá, tesco!

Tudo bem?

Estive lendo seu poema: "Todo dia", escrito no ano da solidão de 1980 e que não comentei, não sei a razão, e pra te falar com sinceridade, acho k você, agora, nesses últimos tempos, está no ponto.
Você tb trabalhou na célebre Petrobras, k tanto tem dado k falar? Tenho certeza de k, nesse tempo, andava tudo bem certinho.

Eu tenho de acreditar naquilo k você diz no post: sozinho em seu quarto, já casado, morrendo de saudade de sua mulher, mas....tesco, você nunca "derrapou"? Eu sei k "cão k ladra, não morde", mas, tb sei k "a ocasião faz o ladrão", com os devidos ressalvos para as palavras cão e ladrão. Você me entendeu.

O soneto k, hoje, publicou está, em minha opinião, mais bem feito, e o poeta se exprime com mais solidez e mais magia. Aliás, você escreve, linda, doce e humoristicamente bem.

Agradeço mtooooooooooo, de coração, o que, tão magicamente escreveu em meu blog.

Beijos e abraços, com muito carinho e admiração por sua pessoa.

ॐ Shirley ॐ disse...

É sublime criar um soneto,
ao invés, de jogar palavras ao vento...
Muito bonito, tesco!
Mia amiko, kisojn!

CÉU disse...

Olá, tesco!

Como vai?

Agora estava olhando a foto do perfil de seu blog, e li mais uma vez, que você tem formação superior em Geologia, e não em Agronomia. Olha k eu já fiz, creio eu, afirmações escritas, aqui e em meu blog, sempre pensando k você é Engenheiro Agrónomo, qdo, de facto, é Geólogo. Me desculpa, mas são aquelas associações k a mente faz, não sei como, nem as razões disso.
Mas de onde me veio essa ideia? Só pode ser, pke ambos os cursos têm a ver com terra (Terra). Você vê outra explicação?

Bom fim de semana.

Aquele abraço.

tesco disse...

Querida CÉU, muita oportunidade tive para "derrapar",
inclusive nesta ocasião citada estava em pleno carnaval
baiano, famoso em todo Brasil por sua liberalidade.
No entanto, nesses anos todos, nunca encontrei VOCÊ,
por isso permaneci incólume qual a Grande Pirâmide.
Beijo.

CÉU disse...

Querido amigo!
Claro k teve, isso calculei eu, mas você foi de "ferro", hein! É mto difícil um homem resistir, nessas e noutras ocasiões. Eu entendo, perfeitamente. Para vocês é apenas físico, é aquele instante, e depois, bye-bye.
E no carnaval da Bahia? Bem, carnaval no Brasil é sempre mto liberal, me parece, mas sem ser carnaval, as "pernas, facilmente, se descruzam", acho eu.
Se nos tivéssemos encontrado, garanto k você continuaria fiel à sua mulher, e a pirâmide, embora bem soberba e elevada, ficaria mirando e apreciando o "deserto". Isso eu garanto a você.
Kisojn.

CÉU disse...

AGRADEÇO TEU BOM-HUMOR E TEU CARINHO, tesco!