TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

QUINTANA SÁBIO - 4


DA CONDIÇÃO HUMANA

“Se variam na casca, idêntico é o miolo,
Julguem-se embora de diversa trama:
Ninguém mais se parece
         com um verdadeiro tolo
Que o mais sutil dos sábios quando ama”.

Mário Quintana
(Quintana de bolso)



Quintana coloca em seus versos a sabedoria
da idade, muitas vezes nos surpreendendo
pela sua simplicidade.

Quem julgar as pessoas pelas aparências,
muito vai errar. As pessoas quase sempre dão
margem a erros de julgamento, pois, no mundo
real, constatamos que a diversidade não existe
apenas de pessoa para pessoa, mas também
aparece no mundo íntimo de cada ser humano.

Isso pode ser bem visualizado numa quadrinha
de outro poeta, o Belmiro Braga:

"As almas de muita gente
são como o rio profundo:
a face tão transparente,
e quanto lodo no fundo!”


Nem sempre porém, o que está encoberto é.
necessariamente, lodo, ou seja, um
temperamento inconseqüente, lascivo, brutal,
impiedoso ou desonesto.

Características infantis, poéticas, românticas,
bem-humoradas, caridosas ou afins, podem
permanecer desconhecidas por muita gente,
durante muito tempo, só vindo à tona em
ocasiões específicas.

No caso de apaixonados, então, é comum
aflorar nosso lado romântico e poético, que,
em contraste com o modo usual de nos
apresentarmos, pode parecer ridículo e,
usualmente assim é visto.

Fundamentando-me nisto, minha sugestão
para o novo ano que, inexoravelmente, vem
romper a nossa rotina, é que não temam ser
ridículos se expressarem amor.

Se aflorar o nosso pendor artístico, sentimental
ou humorístico, a nossa empatia, compaixão e
bondade, a nossa capacidade de compreender
e de perdoar, não nos deixemos acovardar:
Sejamos ridículos!

Mais do que sugestão, na verdade,
são meus votos para vocês em 2009:

Muito Amor!

e abraço do tesco!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

QUINTANA SÁBIO - 3


DA CALÚNIA

Sorri com tranqüilidade
Quanfo alguém te calunia.
Quem sabe o que não seria
Se ele dissesse a verdade...

Mário Quintana
(Quintana de bolso)



Quintana continua enveredando,
com discernimento, pelos obscuros
corredores da mente humana.

Não sei se dói menos quando dizem coisas
falsas sobre nós, em todo caso, se dizem
coisas ruins, é bem melhor que não sejam
verdades. Pelo menos, ficamos cientes de
que não estamos totalmente em caminho
errado.

No caso contrário, quando, na verdade,
as calúnias não são calúnias, estaremos
em má situação. Mesmo se, igual à muita
gente, não acreditarmos em castigos e
recompensas futuras, reza o conhecimento
popular que "aqui se faz, aqui se paga".

E a moderna "ciência" da auto-ajuda "revela",
como no livro "O Segredo" e congêneres,
que o "universo trará de volta pra você
as conseqüências dos seus atos".

Ora, eu, que sou um crente absoluto, acredito
até que "nunca, na história desse país,
se fez tanto em benefício dos pobres",
ponho minha barba de molho e prefiro
continuar com a consciência limpa.

Podem me caluniar se quiserem, (atualmente
a antiga frase "falem bem ou mal, mas falem
de mim", parece estar em alta), mas,
continuarei sereno.

Seguindo o conselho de Quintana,
sorrirei com tranqüilidade.

Abraço do tesco.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

SORTESCO 02 - RESULTADO


Na extração de hoje da Loteria Federal,
a dezena 36, do 2º prêmio foi vencedora,
e é do grupo 9, escolhido por
EDU e MAU!

Parabéns!

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Não é só casa e comida


Lembrem desse refrão da música cantada
por Núbia Lafayete:
"Repito o que todo mundo diz,
não é só casa e comida
que faz a mulher feliz".

Parte dos homens pensará:
"Claro que não, o que faz a mulher feliz
é sexo!".

A outra parte discordará:
“Que nada, o ponto G da mulher
está no bolso dos homens!”

A maioria das mulheres pensará:
"Com certeza que não, o que faz
a mulher feliz é carinho, amor, afeto!".

Não sei o que a maioria dos psicólogos
pensa, porém, segundo John Gray, autor de
"Os homens são de Marte, as mulheres são
de Vênus", a resposta poderia ser:
"Apoio emocional é a fonte principal
de felicidade".

O ponto de partida do ‘best seller” de Gray é
simbólico, claro, ainda mais que ela não fala
de mulheres marcianas nem homens
venusianos, mas se ajusta ao que ocorre no
mundo psicológico terrestre: Homens e
mulheres pensam e agem como se fossem
de mundos diferentes.

A solução proposta parece ser satisfatória:
Considerar sempre como tendo origens e
linguagens diferentes as atitudes de ambos
os gêneros.

Na verdade não importa se a tese seja
errada ou bem fundamentada, seja simbólica
ou não, o importante é que dê certo, e todos
fiquem felizes.

Baseado nisso, Gray assevera que homens e
mulheres têm necessidades emocionais
diferentes e, portanto, procurar entender e,
se possível, satisfazer essas diferentes
necessidades é primordial para manter um
bom relacionamento.

Muita gente não gosta de livros de auto-
ajuda e, pelo elevado número de títulos
desse gênero de publicação, tem suas
razões. Também não leio todos,
evidentemente, mas esse estudo de Gray,
pelo detalhado aconselhamento que dá,
se não fizer bem, mal não fará.

Uma coisa, pelo menos, fica acertada:
Não é só casa e comida! Ta bem?

Abraço do tesco.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

SORTESCO 02 - RESULTADO


Da extração de sábado da
Loteria Federal,
nenhum grupo escolhido teve dezena sorteada.
A decisão fica adiada para a extração
do próximo sábado, 20/12.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Quintana sábio - 2

O EXERCÍCIO DA FILOSOFIA

Como um burrico mourejando à nora,
A mente humana sempre as mesmas voltas dá...
Tolice alguma nos ocorrerá
Que não a tenha dito um sábio grego outrora...


Mário Quintana (Quintana de bolso)


Em mais uma quadrinha genial,
o velho Quintana explicita sua sabedoria
humorística.

Evidentemente é uma gozação, mas nos
primórdios da filosofia ocidental, os gregos
visitavam todos os ramos do conhecimento
(da época, claro!), e davam pitaco em tudo.
E como não poderia deixar de ocorrer,
muita bobagem foi dita (e escrita, se não
a gente não ia saber, né?).

É realmente impressionante a quantidade
de filósofos, ou coisa parecida, encontrada
na civilização grega antiga, o que explica
o verso final desta quadrinha
.


Abraço do tesco.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

SORTESCO 01: RESULTADO


Na extração de hoje da
Loteria Federal,
a dezena do 5º prêmio foi 33, do grupo 9,
escolhido por
EDU e MAU!
Parabéns!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

SORTESCO 02


AS BELAS COISAS QUE
É DO CÉU CONTÊ-LAS

de DINAW MENGESTU

Ocupações e preocupações
de um imigrante etiope,
morando na capital dos
Estados Unidos.
Relato (semi-fantasioso)
que transmite uma grande nostalgia.
Não me comoveu, mas pode comover você.

INSCREVA-SE ASSIM:
Escolha apenas UM grupo, de 1 a 25,
cujas dezenas já estão determinadas.
Exemplos:
Grupo 1 = dezenas 01, 02, 03 e 04; ou
Grupo 25 = dezenas 97, 98, 99 e 00.
O vencedor será determinado pela
Loteria Federal em 13/12/2008,
Escolha um grupo ainda disponível
ATÉ às 18 h do dia de sorteio, e
BOA SORTE!

Belas coisas


Por diversas vezes me enganei com o título
de livros. "As belas coisas que é do ceu
contê-las" foi um deles. O título é um verso
da Divina comédia, de Dante, portanto, era
de se esperar muita reflexão poética, o que
não acontece.

O autor é um imigrante etíope morando nos
Estados Unidos e fantasia sobre a vida de
um imigrante etíope morando em
Washington. Reflexões comuns são as
rememorações de perseguições (não vividas
pelo autor, o "protagonista" não é ele,
embora narre na primeira pessoa) sofridas
na Etiópia durante o momento político-social
chamado "terror vermelho", e isso não tem
nada de poético.

Outra coisa preponderante são as
observações sobre um bairro decadente de
Washington, coisa que não me atrai.

Não é o meu estilo de leitura, assim, não

tenho boas refeerências pra dar sobre o livro,
mas como tem quem goste, o estou
colocando no Sortesco 02, logo aí em cima.

- Como? Não sorteou um e já tem outro?

Sim, é um sorteio distinto do outro, com
datas e inscrições diversas. Por isso que o
regulamento do Sortesco tem uma ligeira
diferença em relação aquele da extinta
Promoção NPN: No caso de não haver
ganhador num sorteio, a decisão fica para
a extração da
SEMANA SEGUINTE, e não
mais para a próxima extração.
Desse modo o sorteio de uma quarta-feira
será adiado para a outra quarta-feira,
(quando for necessário), e o de um sábado
fica adiado para o outro sábado. Não deve
haver confusão.

- Quer dizer que vai haver dois Sortescos
por semana?

Não quer dizer que vai haver, quer dizer que

pode haver.

- E por que isso?

Dessa vez será pra cobrir a ausência do
Sortesco no Natal e Ano Novo, em época de
muita festa, não vou me comprometer a ir
nos Correios, né? Depois, servirá para...
eventuais... flutuações... Ah! Sei lá!
Também, você é curioso pra caramba!
Tá bom! Já dei meu recado, vou postar
o Sortesco.

Abraço do tesco.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Conversa com Altertesco


Aproveitando o momento de intimidade.
só aqui entre nós, nos últimos meses
li dois livrinhos de Clarice Lispector e...
Não gostei de nenhum!

- Oh! Que heresia!
E o que é pior, gostei muito mais do livro de

Paulo Coelho que estou colocando no Sortesco.
- Meu Deus, o tesco enlouqueceu!
Pois digo com sinceridade. Não vi nesses dois
livros da Clarice, nenhum sintoma de lógica
interna dos personagens, são confusos demais,
não sabem de nada, não entendem as coisas e
não chegam à conclusão nenhuma.
Não criam empatia comigo.
- Mas personagem tem que criar empatia?
Lógico! Se você não se identifica com nenhum
personagem, não vê graça na narração. Aliás,
pode nem ver narração nenhuma.
- E você não se empolgou com a narração
da Clarice?
Pra falar a verdade, vi apenas um mosaico de
impressões. Como um caleidoscópio, que vai
mostrando uma multidão de imagens, que
podem ser bonitas, mas que não tem

necessariamente ligação entre si.
- Veja bem, tesco, o que você está dizendo.
Você está desconstruindo um ícone da
literatura nacional!
Não, nada disso, estou apenas dando uma

opinião de leitor. Nada desse negócio de
literatura, que não leva a lugar nenhum.

Essa classificação sem fim, pondo um autor
numa determinada classe, outro numa escola
tal, um é moderno outro é barroco. Como se
isso melhorasse a obra do autor. Não gostei

da Clarice e pronto! Direito do leitor!
- É, tá certo, é direito do leitor, sim.
Mas fala baixo...

Abraço do tesco.

SORTESCO 01

VERONIKA DECIDE MORRER
de PAULO COELHO


Quem é louco afinal?

Que padrão de comportamento
pode ser considerado normal?
Um relato do "Mago"
para
dar o que pensar.

Se você abomina Paulo Coelho,
esqueça este sorteio.

Se você ainda não o conhece, inscreva-se
pra ver se ele é tão ruim como muitos dizem.

INSCREVA-SE ASSIM:
Escolha apenas UM grupo, de 1 a 25,

cujas dezenas já estão determinadas.
Exemplos:

Grupo 1 = dezenas 01, 02, 03 e 04; ou
Grupo 25 = dezenas 97, 98, 99 e 00.

O vencedor será determinado pela
Loteria Federal em 10/12/2008,

Escolha um grupo ainda disponível
ATÉ às 18 h do dia de sorteio, e
BOA SORTE!

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Hipótese da autonomia


Parece que às vezes não é o poeta que faz
o poema, e sim, o poema que usa o poeta.
Exemplifico:

Numa madrugada dessas - meus versos
costumam se expandir nas madrugadas -

eu estava no banheiro, lendo um livrinho
sobre Drummond (leio muito no banheiro,
quietinho, sossegadinho, ninguém me incomoda),
e esbocei um soneto sobre determinado tema:
Que não uso rimas por querer.


Já tinha dois ou três versos. Depois do banho,
porém, arrumei a cama e dormi.
Não escrevi nada do que tinha esboçado.

Na madrugada seguinte lembrei-me do soneto,
mas somente do tema, de nenhum verso
conseguia lembrar-me.
Forcei, forcejei, me esforcei, mas... nada!

Comecei a escrever pra ver se eles

voltavam à memória. Aí os versos foram
se sucedendo e compus o soneto.

Sobre o mesmo tema, sim, mas nenhum
dos versos anteriores e de uma forma
totalmente diversa da que eu tinha imaginado.
Saiu esse:

AUTONOMIA

Eu não procuro os versos,
são eles que vêm a mim.
Vêm de vários universos
para expressar-se assim.


Numa labuta insana
batem nos meus arraiais,

anos, meses e semanas.
Vêm chegando sempre mais.

Não sou eu que quero rimas,
são elas que se aproximam
e se enlaçam sem me ver.

Eu não mando nos poemas,
só dou palpite no tema,
e o resto é sem querer.

(tesco, 2008.11.11)



Isso já tinha me acontecido antes,
por isso formulei a hipótese.
Se ela não tiver ligação com a realidade,
não faz mal.
Pode-se dizer que é coisa de poeta!

Abraço do tesco.

domingo, 30 de novembro de 2008

Chegando!


Bem, amigos, aqui estou eu de novo.

Não trago novidades, só o blogue é que é novo.
O tesco é o mesmo de sempre, aguado, chato,
e não sabe sambar.

Como devem saber, obtive a aposentadoria
sonhada. Já era tempo! Esperava por ela
há 28 anos: Desde quue entrei na Petrobrás!
Rerrerré!
Tenho uma grande vocação para a
vagabundagem, mas como aposentado não
é vagabundo, tive que ralar por muitos anos.

Agora que tenho tempo disponível, tentarei
postar diariamente alguma literatice, pequena
pra não enfadar ninguém. De modo geral,
posts pequenos, que poderão ser lidos
rapidamente, e comentados mais rapidamente
ainda.

Inicio com um comentário sobre um poema de
Mário Quintana, curtinho, em forma de quadra,
(o Mário não, o poema), que deve se tornar o
primeiro de uma série, por isso vai numerado.
Deixem um pouco a preguiça de lado e leiam.

=======
QUINTANA SÁBIO 1-
DOS NOSSOS MALES

“A nós nos bastam nossos próprios ais,
Que a ninguém sua cruz é pequenina.
Por pior que seja a situação da China,
Os nossos calos doem muito mais...”


Mário Quintana
(É de outros carnavais, mas está em
Quintana de bolso, L&PM. 2006)


O grande Quintana sabia das coisas.
Numa pequenina quadra coloca uma verdade
insofismável.

É reação instintiva, é coisa inerente ao ser.
Nas situações normais, ninguém vai se
interessar pela dor alheia, se os seus males
não estiverem sanados, principalmente se
o "próximo" estiver distante.

Com a assimilação de valores de solidariedade,
mormente ensinados pelas religiões,
(espero que ensinem!), o homem, aos poucos,
passa a perceber e se preocupar também com
o sofrimento dos outros.

Porém, os chineses e as sogras ficam em
último lugar, provavelmente.

Abraço do tesco.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Inauguração no domingo

Agradeço a quem ja veio dar uma olhada
e a quem já deu um pitaco.
Não percam a esperança,
a inauguração vem loguim loguim.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008