TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

LENDO E APRENDENDO


Minha preferência é por ficção científica, mas leio de tudo. 

Tudo (ou quase) é aproveitável, nos cabe é ficar de "orelha 
em pé" para sentir o que tem de melhor naquela leitura. 

Acabei de ler um livro de contos policiais, do norte-americano 
Dashell Hammett (1894-1961), "O grande golpe" (não, não se 
trata da imposição de Temer e sua quadrilha no Governo do 
Brasil, é sobre crimes menores). Mas o autor lança expressões 
de pensamento que fazem lembrar os brasileiros. 

Veja aqui se não lembra a renomada prudência mineira: 

"Era daquele tipo cauteloso que olha pela janela num 
dia de aguaceiro e diz “Parece estar chovendo”, para 
a possibilidade remota de alguém estar atirando água 
de cima do telhado." 

Note o sentimentalismo do rapaz: 

"Mas, naquele grito – naquele único lamento – estava 
contido um sentimento de horror à morte. 
O que ainda resta da minha alma tem pele calejada, 
mas, mesmo assim, minha testa se franziu." 

Aqui parece se referir ao político brasileiro: 

"O quarto estava escuro como 
as perspectivas de um político honesto." 

Neste parágrafo cita como a PM brasileira, normalmente, 
deixa os bandidos que encontra: 

"Normalmente, os seis homens que encontramos 
lá dentro teriam quase acabado conosco. 
Mas eles estavam mortos demais para isso." 

Sem dúvida, uma leitura interessante, afora a trama 
própria dos cuntos. Portanto, Leiamos! 

Abraço do tesco. 

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

PRELÚDIO DE UM CRIME


"Sue arranjou um emprego num bar
administrado 
por um grego chamado
Vassos.


Um dos clientes de Vassos era Babe
McLoor, 
mais de 120  quilos de ossos
e músculos 
escoceses-irlandeses-
indígenas, um gigante 
moreno que
estava descansando depois de 

cumprir uma pena de quinze anos 
em Leavenworth. 

Babe estava conseguindo dinheiro
para beber 
atacando pedestres nas
ruas escuras.


Babe gostava de Sue.
Vassos gostava de Sue. 

Sue gostava de Babe.
Vassos não gostava disso."
 


Dasshell Hammett, "O grande golpe", (Papel mata-moscas)

terça-feira, 3 de outubro de 2017

QUANTO MAIS LUZ...

"- Estamos transitoriamente maus...

- Correto, Paulino Garcia, mas não há nenhum espirito 
da Criação que consiga cristalizar-se no mal para 
sempre. Momento chegará em que, por mais tenhamos 
nos alimentado no mal, haveremos de regurgitá-lo, 
porquanto somente a prática do bem não excede 
em suas medidas. Quanto mais luz, mais luz!" 
(Dr. Inácio Ferreira) 

(do livro "Viver é para sempre", 
psicografado por Carlos Baccelli)

domingo, 24 de setembro de 2017

PREPARANDO-SE PARA MORRER!

Infelizmente é isso! 
O que podemos esperar de um governo golpista e genocida 
como a quadrilha que se abancou no poder? 

"Massacres, sofrimentos e assassinatos, levam os indígenas 
Guarani Kaiowá do Mato Grosso do Sul a tomarem a última 
decisão drástica: 
Após sofrerem duras ataques,  indígenas guaranis kaiowá 
se preparam espiritualmente para resistir em permanecer 
seus TEKOHÁ até a morte. 
A decisão foi tomada em coletivo na terra Indígena 
Ñhanderú Marangatu, diante ao túmulo do indígena guarani 
kaiowá Semião Vilhalva, assassinado pelos produtores rurais 
no último dia 26/08 no município de Antônio João / MS."

   ***   ***   *** 

Abraço plangente do tesco.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

ESTUDAR OU NÃO?

No livro  "Mayombe", do escritor angolano Pepetela, 
encontramos, no capítulo 2, "A base", esta prédica do 
personagem Comandante Sem Medo ao seu subordinado,
guerrilheiro "Lutamos": 


"Lutamos pensou que encontrava apoio no Comandante. 
Sentiu coragem para proferir: 
— É por isso que não estou de acordo com o Comissário, 
que nos obriga a ir à escola. 
— Tu, Lutamos, és um burro! – disse Sem Medo. – Quem 
não quer estudar é um burro e, por isso, o Comissário tem 
razão. 
Queres continuar a ser um tapado, enganado por todos... 
As pessoas devem estudar, pois é a única maneira de 
poderem pensar sobre tudo com a sua cabeça e não com 
a cabeça dos outros. O homem tem de saber muito, sempre 
mais e mais, para poder conquistar a sua liberdade, para 
saber julgar. Se não percebes as palavras que eu 
pronuncio, como podes saber se estou a falar bem ou não? 
Terás de perguntar a outro. 
Dependes sempre de outro, não és livre. Por isso toda a 
gente deve estudar, o objetivo principal duma verdadeira 
Revolução é fazer toda a gente estudar." 

   ***   ***   ***   
Estudemos, pois!
Nunca desperdicemos uma oportunidade de aprender!

Abraço do tesco. 

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

DO MOMENTO ATUAL

"Em um momento em que a maldade
se exerce 
impunemente,
ser apenas inútil merece louvores." 


MONTAIGNE 
["Os Ensaios", livro 3, capítulo 9: Da vaidade]

domingo, 10 de setembro de 2017

MONTAIGNE SABE O QUE FALA!

"A obstinação e a convicção exagerada
são 
a prova mais evidente da estupidez. 


Haverá algo mais afirmativo, resoluto,
desdenhoso, 
contemplativo, grave
e sério do que um burro?" 


(Montaigne, in "Os Ensaios", livro 3, 

capitulo 8: Da arte de conversar)