TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

domingo, 15 de junho de 2014

ANALISANDO LETRAS-12

REVOLTA 

Veremos mais uma composição do Adeino Moreira. 

- Puxa, você é mesmo fã do Adelino! 

Não é bem isso, é certo que aprecio suas  melodias, mas, 
como o que analiso aqui são as letras, esse é um autor 
que oferece recursos pra isto: Suas letras contam histórias 
com início, meio e fim, portanto, bom material para exame. 

Esta composição, "Revolta", gravada em 1959, por Nélson 
Gonçalves, narra o desespero de um homem, separado por 
algum motivo de sua amada (provavelmente ela o deixou), 
acorrentado à sua lembrança. Narrado em primeira pessoa. 

O que pode ser notado aqui, na verdade, é a ausência dos 
sentimentos, pois o que se ressalta é a pesada dominação 
de sensação e de emoção, a paixão impera e o pouco de 
sentimento que transparece é o de amor-ptóprio. 

O personagem não relembra a personalidade integral da 
mulher, sua graça, seu encanto de pessoa humana, sua 
intelectualidade, seu caráter, unicamente atrativo material, 
focado nos "lábios sedutores". Nada que o tempo não 
desintegre (e não precisa ser muito tempo). 

Mas, o pior de tudo ainda não é isso, é o pensamento, que 
ele vai reforçando continuamente, de uma imposição afetiva, 
de se julgar o máximo à que a que a outra pessoa poderia 
aspirar. Esse é, acredito, o passo inicial do caminho dos 
violentos, o que culmina no malfadado refrão: 
"Se não é minha, não será de ninguém!". 

Isso fica evidenciado pelos versos: 
"Eu vou tramando no meu cérebro nervoso 
Uma maneira de magoar teu coração" 
Ora, magoar o coração da pessoa que se ama ainda não 
é a melhor demonstração de amor, pelo menos no que eu 
entendo como amor. 

E ainda: "É meu consolo acreditar que estás sofrendo". 
Pode um amor sincero conceber tal coisa? 
Meus conceitos ainda não atingiram  essas alturas. 
Talvez o Marquês de Sade possa explicar melhor. 

Mas vejam a letra por inteiro, aí abaixo. 
E querendo ouvi-la com Nélson, clique no título da música. 

"REVOLTA
Adelino Moreira

Hoje tão longe dos teus lábios sedutores 
Sem o carinho dos teus beijos, meu amor 
Não tenho horas de sossego em minha vida 
Sou mais um barco que não tem navegador 

Vivo perdido no passado dos teus beijos 
Sinto o fantasma dos teus lábios junto aos meus 
Beijo outras bocas pra fugir da tua boca 
E sinto ainda o sabor dos beijos teus 

O desespero me tirou a consciência 
E no delírio que me envolve esta paixão 
Eu vou tramando no meu cérebro nervoso 
Uma maneira de magoar teu coração 

É meu consolo acreditar que estás sofrendo 
Em tua vida de prazeres e de louca 
Beijando bocas, como eu, mas com saudades 
Dos beijos que eu roubei da tua boca." 

   *   *   *   

Apesar da crítica, não estou destruindo nenhum "Muro de 
Berlim", a música é boa, tanto na melodia quanto na letra. 
Apenas, esta última, se analisada a fundo, revela, não 
falhas de composição, mas falhas do caráter humano. 
E estas não podem ser sanadas de imediato, necessitam 
de seu período de amadurecimento. 

Abraço do tesco. 

5 comentários:

Anônimo disse...

Caramba! Tem coisa melhor nessa vida do que música de corno? Adorei.
Beijotescas

ॐ Shirley ॐ disse...

No passado se fazia música bonita, tanto a letra quanto a melodia. Atualmente, não dá para acreditar que se faça tanta aberração. Você está certo, tesco, na parte final da letra, o Adelino acrescentou boas pitadas de vingança.
Mas, fiquei triste, meu pai voltou com tudo em minha lembrança...Eu já lhe disse isso, ele tocava violão e cantava, quase rodos os dias, em casa, essas músicas do Nélson...
Muito bom, tesco, valeu!
Beijos!

Anônimo disse...

Ola, sim sim concordo hoje em dia as musicas nem sao musicas por assim dizer, o tempo e as verdadeiras musicas so no toque do passado. kkk.
concordo em parte com a letra sim desta musica, pois a amada neste caso partiu e para longe de seu querido, entao para ele esse toque de suposta vinganca em sua mente é acreditar que nem tudo foi em vao e que a pessoa que foi embora sofrar um pouco do desgosto que ele sentiu em sua partida. para sempre ele a amara porem a tristeza de um coracao em pedacos tudo se passa em camara lenta na mente os bons e os supostos maus momentos. bruno william

Denise disse...

Adoro essas suas análises. Não tenho o hábito de prestar atenção nas letras, costumo observar mais a melodia. Porém, quando recorremos às letra, podemos ter decepções. A ideia que essa música passa é a da maioria dos homens, da posse da mulher e a vingança quando ela se vai.
Obrigada pelos seus elogios ao meu cantinho. Também gosto muito de vir aqui. Tenho muita preocupação de postar bons textos, para reflexão, pois tenho consciência de que é importante haver a divulgação do evangelho para que as pessoas tenham oportunidade de se repensar e buscar viver melhor. Muita paz!

Anônimo disse...


Tesco, seus comentários são pertinentes. e faz lembrar aquela frase de Ambroise Bierce: "Quem é o egoísta? Ora, o egoísta é um cara que pensa mais nele mesmo que em mim" . Isso parece antropológico, não é?
Também não entende bem essa de machucar quem se ama...hiscla