TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

quinta-feira, 21 de maio de 2015

CONTRACANTO: TELEPATIA

Os caminhos da vida são misteriosos. É como a confecção de 
um bordado, maravilhoso quando visto de cima, mas, visto 
por baixo, não se entende nada. 

Assim a trama dos amores: "Quem eu quero não me quer", 
juntos quem não se entende, aquela que amo está casada, 
separam-se grandes enamorados, o homem da minha vida 
já é de outra, e assim se arrasta a humanidade. 

Desse modo, um casal, que aparentemente daria certo, tem 
uma briguinha, se desentende, e os dois nunca mais se veem. 
Porém, nos dois lados, suspiros se sucedem, beijos suscitam 
saudades, lembranças geram devaneios, reforçam-se certezas, 
e é um só amor com dois polos distantes. 

Infelizmente, não é coisa tão invulgar como se possa imaginar. 
É, talvez, uma situação dessas que a Shirley retrata no sábado 
passado, em seu poema "Telepatia". Dividida entre momentos 
triviais, como o ar frio de uma madrugada, os reclamos de um 
cão, a palidez da lua entre nuvens, e a lembrança de instantes 
românticos de um passado que não se deixa esquecer, a poeta 
representa um dos polos  de uma força incoercível. 
Veja na sequência: 

TELEPATIA
Shirley
(2015.05.16)

"Acordo 
vou lá fora cuidar do meu velho cão... 
No céu da madrugada fria nublada 
meu olhar converge para um ponto de luz 
incerto amarelado 
a denunciar a presença apagada da lua. 
Meu ser 
transborda sonhos lembranças 
quando amasso uma página do passado 
no atual experimento da vida. 
Uma vez mais 
os meus olhos brilham 
nas profundezas da noite. 
Quero concentrar-me 
cerro as pálpebras 
o cachorro reclama minha atenção 
e antes que eu esqueça 
sem pressa procuro uma rima rica 
para lhe enviar esta última mensagem: 
Nosso amor acabou 
mas você não me sai da cabeça..." 

   *   *   *   

Na telepatia é imprescindível dois polos, e o outro polo da 
Shirley existe e está em sintonia. Neste mesmo momento, 
quem sabe, também olhando a lua, o moço - já não tão moço - 
rememora as loucuras da mocidade, quando menosprezou o 
amor incipiente, que não podia dar frutos de imediato, pela 
febre do "descobridor dos sete mares", e foi conhecer as 
coisas que estão no mundo. 

É jovem, não sabe ele que o que se pode ter de verdade, não 
é palpável, que sentimento é a maior riqueza do mundo, e 
que o tempo é inexorável, e só anda pra frente! 
Veja a seguir, como tesco representa o outro polo: 

RETORNAR É PRECISO
tesco
(2015.05.18)

"Sabia que era feliz 
Mas me ausentei mesmo assim 
A loucura estava em mim 
Tinha desejos febris 

Só procurava venturas 
Mas nenhuma encontrei 
Todo caminho que andei 
Me produziu desventura 

Naufragando em alto mar
De súbito me vem o siso 
Muito mais que navegar 
Retornar é que é preciso  

Dor de amor eu não conheço 
O amor nunca me doi 
O que sinto - e estremeço - 
É uma imensa saudade 
Esta é que na verdade 
A minha alma corrói

A loucura já findou 
Agonizo em desespero 
Preciso do teu tempero 
Nosso amor não acabou 

"Nunca, jamais me esqueças!" 
A luz da lua me grita 
Mais nada ao redor me excita 
E nem me sai da cabeça 

Não vou ao desconhecido 
Apenas uma intenção: 
Alcançar teu coração 
É o que me faz atrevido" 

   *   *   *   

Assim, a telepatia às vezes funciona, transmitindo a magia de 
um encantamento entre dois corações, que deveriam estar 
unidos, e decisões desafortunadas, escolhas voluntárias mas 
impensadas, os levaram a afastar-se. 

Quiçá, tudo que foi mal feito possa ser refeito; tudo que não 
foi feito tenha sua oportunidade; e tudo que foi desfeito possa 
renascer para novo aprendizado. 

Abraço do tesco. 

6 comentários:

ॐ Shirley ॐ disse...

Meu caro tesco, sem dúvida você possui um bisturi afiadíssimo. Você sabe como dissecar com maestria, um poema e um coração.
Beijos!!!

Eduardo de Souza Caxa disse...

Bom dia! Feliz Aniversário, tesquinho poeta dissecador de corações! :-)

tesco disse...

Obrigado, Edu!
Não sou tão dissecador assim como dizem,
mas faço minhas incisões. Rerré!


Hecta disse...


Tesco..Tesco...tesco..
Graças a Deus que é poesia da boa!
Há coisas na vida que valem como poesia ou ficção mesmo.
Adorei, muito sensível e delicado, enquanto poesia.
Mas na vida real, no pé no chão a coisa é bem outra mesmo.
Julga-me endurecida demais? pode ser..
Assim caminha a humanidade...
hiscla

Hecta disse...


Tesco..Feliz aniversário, mais um ano..

Feliz aniversário

Um momento especial de renovação para sua alma e seu espírito, porque Deus, na sua infinita sabedoria, deu à natureza, a capacidade de desabrochar a cada nova estação e a nós capacidade de recomeçar a cada ano.
Desejo a você, um ano cheio de amor e de alegrias.
Afinal fazer aniversário é ter a chance de fazer novos amigos, ajudar mais pessoas, aprender e ensinar novas lições, vivenciar outras dores e suportar velhos problemas.
Sorrir novos motivos e chorar outros, porque, amar o próximo é dar mais amparo, rezar mais preces e agradecer mais vezes.
Fazer Aniversário é amadurecer um pouco mais e olhar a vida como uma dádiva de Deus.
É ser grato, reconhecido, forte, destemido.
É ser rima, é ser verso, é ver Deus no universo;
Parabéns a você nesse dia tão grandioso.

hiscla

silvioafonso disse...

Gostei do seu blog, companheiro.
Gostaria de segui-lo, mas não vi
como. Se você quiser, pode seguir
o meu.

Um abração.




.