TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

terça-feira, 11 de novembro de 2014

BOBAGENS LINGUÍSTICAS 24


Continuando no "Dicionário Etimológico Termos Médicos", de
Lima, Simões e Baracat, aprendamos com mais algumas
etimologias.

PITUITÁRIA
- Do latim Pituita, secreção mucosa, catarro, goma, resina.
No tempo de Galeno julgava-se que a secreção nasal
provinha do encéfalo, da hipófise e daí o nome de pituitária
que foi dado a essa importantíssima glândula. Foi só no
século XVII que se passou a verificar que a secreção mucosa
vem do nariz e nгo da pituitária.


Galeno viveu no século 2, então vemos aqui uma suposição
perdurar por 15 séculos, sendo materialmente comprovável.
Imagine-se o que não é domínio da matéria!

PLACEBO

- É o futuro do indicativo do verbo latino  Placere, agradar.
A tradução literal seria "agradarei".
Dava-se esse nome a certas prescriçзs que o médico fazia
"para agradar o doente", substâncias de pouca ou nenhuma
ação terapêutica. Hoje a significação corrente é a de
“substância sem ação terapêutica que se ministra para fins
de observação”.


Bons tempos em que o médico procurava agradar o doente!
Agora, prescrevem-lhe logo, não um, mas muitos remédios
e, entre eles, certamente um bem caro.

PLEURA
- Do grego Pleura, que primitivamente significava "lado do
corpo" ou "costela". O termo pleura significava também o
lado de um animal.
Galeno usava esta palavra tanto para costela como para
a membrana que reveste internamente o tórax e está
em contato íntimo com as costelas. Por mera metonímia,
passou a nomear apenas a membrana mucosa.


Curioso isso: Estar em contato com o João e passar a ser
chamado também de João. Então é vantajoso figurar junto
aos santos, mesmo se não aprendermos nada, seremos
também chamados de santos.

POLEGAR
– do latim Polles, polegar. No entanto, a origem da palavra é
incerta. Talvez do grego Pollein, ser forte, ou mesmo do latim
Polleo, eu tenho poder, força. Na cultura romana, o polegar
tinha grande importância por ser o mais forte de todos os dedos
da mão. Os imperadores traziam os anéis de sinete neste dedo
e o polegar apoiado no dedo indicador significava aprovação,
sua extensão para baixo (Pollice verso) significava condenação.
Este hábito foi de uso popular durante as lutas nos circos
romanos, selando caprichosamente o destino dos gladiadores.
O genitivo de Polles é Pollicis. A palavra poíicia, designando
instituição com poder tem a mesma origem do latim Pollere,
ter força, ter poder.


O que me vinha à mente ao ler ou ouvir a expressão 'polegar'
sempre foi 'pequeno', apesar de o menor dedo ser o minimo
(mindinho), devido ao "Pequeno Polegar", e nunca 'forte'.
Pasmado fiquei ao ler que 'polícia' teria sua origem neste
pequenino, pois polegar nunca bateu tanto quanto polícia!

POTÁSSIO
- Do inglês Pot ash, isto é, as cinzas (ash) que ficavam no
recipiente (pot). A palavra foi mais tarde latinizada para
"potassium". 

 
Ora vejam, de um humilde potinho de cinzas, um cinzeiro,
surge um poderoso elemento químico!

PREPÚCIO
- Do latim Pre, antes e Putum, palavra  arcáica que significava
pênis.


Sempre estranhei uma palavra tão pomposa para essa
extensão de pele, que não tem a mesma importância de uma
válvula mitral, um apêndice ileo-cecal, ou de uma artéria renal. 
Mas tá explicado, é frente de pênis, mesmo.

PUPILA
- Do latim Pupilla, diminutivo de Pupa, menina.
Consta que foi dado tal nome a essa parte do globo ocular 
porque os objetos do exterior ali se refletem em tamanho muito
pequeno.


Pensava que era apenas uma expressão poética, mas é menina
mesmo. Deve ter se originado com uma menina peralta, olhando
nos olhos do pai ou avô, e exclamando, ao se ver refletida:
"Tem uma menininha dentro do seu olho!"

Depois veremos mais do Dicionário Etimológico Termos Médicos",


ENXOMBRADO

Este verbete já foi enfocado no "Bobagens... 22", venho somente
ressaltar que, em minhas leituras de livros mais antigos (século
19 pra muita gente é pré-história), pela primeira vez, encontro
o termo utilizado de um modo corriqueiro. Trata se da descrição
de um tabelião lançando seus registros

"Encolhendo-se à medida que desciam as regras da escripta,
a tal mão de tarracha só levantava-se da banca para virar a
folha com um piparote, enxombrado da saliva que o dedo
mínimo furtava à boca, mas com a rapidez de um tiro de
bodoque."


Encontra-se na obra de José de Alencar, "Alfarrábios -
Chrônica dos tempos cloniaes - O Garatuja", datado de 1872.
Nota-se plenamente aqui, o significado da palavra que é
'umedecido. 

Por enquanto já dá pra abastecer o tanque.

Abraço do tesco.

3 comentários:

Anônimo disse...


Bom dia Tesco!
Tudo bem?
eu nem imaginava essas coisas sobre "nossos dedos" e "glandulas". O termo "enxombrado" faz parte do meu vocabulário da infancia: tinhamos que observar se as roupas não estavam "enxUmbradas' antes de recolher; na chuva, havíamos de cuidar do retorno da escola para casa e não deixar os cadernos "enxUmbrados". Legal não é?
hiscla

Denise disse...

A etimologia das palavras, por vezes, nos causam assombro. Também pensava que polegar fosse uma coisa pequena, vivendo e aprendendo. Muita paz!

ॐ Shirley ॐ disse...

Meu tanque ficou tão cheio, tesco, que sinto dores na pleura. Preciso urgentemente de um placebo.
Beijo!