TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

domingo, 10 de agosto de 2014

ANALISANDO LETRAS-14

FASCINATION

Ao ler o título da música, pode-se pensar em 'fascinêixan',
devido à grande difusão da gravação de Nat King Cole. Mas 
não é sobre a versão que venho falar, é sobre 'fascinación' 
mesmo. Sim, a letra original foi composta em francês, por 
Maurice de Féraudy (1859-1932) em 1905, sobre a melodia 
que o italiano Fermo Dante Marchetti (1876-1940) compôs 
em 1904. É uma "valsa-cigana", como chamavam na época. 

Vendo a letra francesa notei que ela não é integralmente 
cantada, nem por Edith Piaf, nem por Jacqueline François,
(que a canta bem mais suavemente que Piaf), sendo cantadas 
as terceira e quarta estrofes (no You Tube, não sei como são 
as gravações originais), por Leo Marjanee por Fiorelle

Fato curioso é que a palavra 'fascination' não aparece no 
interior da letra, mas, tão somente no título. O mesmo, aliás, 
que ocorre com a letra espanhola de Maria Elena. Em terras 
brasileiras não se resistiu, e foi inserido o título no texto de 
ambas as versões. 

Meu interesse por essa letra em francês foi despertado pela 
popularização das versões. Pensei "Será que as versões, no 
mínimo, respeitaram a intenção da letra original?". 
E qual é a mensagem original então? 

Resumindo, o original diz que uma mulher (Feraudy compôs 
a letra para ser cantada por Paulette Darly) encontra um 
jovem e se apaixona de imediato (fascinação, não é?), mas 
ela assegura que é um "ardente amor". 

A versão inglesa fala algo parecido "Era fascinação, eu sei, 
deveria acabar logo depois do início, mas com o tempo, virou 
amor". 

A versão brasileira, ao contrário,  não fala de um caso em 
início nem em andamento, mas de um relacionamento 
destruído, um estágio pós-desilusão: 
"mentiras de tua fascinação". 

Veja a letra original logo a seguir, liguei o título ao link de 
Fiorelle, que é uma gravação de cerca de 1943, porque ela 
canta as terceira e quarta estrofes. Não é comum de se ouvir. 

FASCINATION
Marchetti (melodia) e Féraudy 

"Je t'ai rencontrée simplement, 
Et tu n'as rien fait pour chercher à me plaire, 
Je t'aime pourtant 
D'un amour ardent, 
Dont rien, je le sens, 
ne pourra me défaire. 

Tu seras toujours mon amant 
Et je crois à toi comme au bonheur suprême. 
Je te fuis parfois, 
mais je reviens quand même. 
C'est plus fort que moi: 
Je t'aime! 

Lorsque je souffre il me faut tes yeux 
profonds et joyeux 
Afin que j'y meure 
Et j'ai besoin pour revivre, amour, 
De t'avoir un jour, 
Moins qu'un jour, une heure! 

De me bercer un peu dans tes bras 
Quand mon coeur est las, 
Quand parfois je pleure. 
Ah! crois-le bien, mon chéri, mon aimé, mon roi, 
Vivrons toujours sans soucis, sans peines. 

Je t'ai rencontrée simplement... 

C'est toi l'ami quand est mort l'espoir, 
Dont on rêve un soir, 
Et que l'âme implore 
L'ami fidèle, et jamais constante, 
Et la seule pourtant qu'une femme adore! 

Sous tes baisers les chagrins passés 
Sont vite effacés 
Et l'on s'aime encore! 
Ah! crois-le bien, mon chéri, mon aimé, mon roi, 
Je n'ai de bonheur qu'avec toi. 

Reviens moi 
Reprends moi." 

   *   *   *   

A tradução não é coisa da qual se possa dizer "Nossa, que 
tradução!", porque o que encontrei 'por aí' parece que foi 
obtida com um tradutor mecânico de 1800! Não dizia coisa 
com coisa. E eu sei apenas rudimentos da língua francesa. 
Portanto, fiz umas recauchutagens de acordo com meu parco 
entendimento. Vejam o que sobrou: 

FASCINAÇÃO 
(tradução) 

"Simplesmente eu te encontrei, 
E não fizeste nada pra me seduzir, 
Mesmo assim te amo 
De um amor ardente,
Que nada, eu sinto, poderá desfazer. 

Sempre tu serás meu amante, 
E eu vejo a ti como a felicidade. 
Às vezes, fugirei,  mas sempre voltarei. 
É mais forte que eu: eu te amo!

Quando sofro, preciso de teus olhos 
profundos e alegres 
E assim que eu morrer 
Preciso para reviver, amor, 
Ter-te por um dia 
Menos que um dia, uma hora! 

Vou embalar-me um pouco em teus braços 
Quando meu coração estiver cansado, 
Quando, às vezes, eu chorar. 
Ah! crê em mim, meu querido, meu amado, meu rei, 
Sempre viveremos sem preocupções, sem penalidades. 

Eu acabei de te conhecer... 

Você é o amigo quando a esperança está morta, 
Sonhamos uma noite, 
E a alma anseia 
O amigo fiel e sempre constante, 
É o único desejo de uma mulher! 

Com os teus beijos as dores passadas 
São rapidamente esquecidas 
E nós ainda nos amamos! 
Ah! crê em mim, meu querido, meu amado, meu rei, 
Não terei felicidade sem ti. 

volte para mim 
Revivamos o passado". 

   *   *   *   
Nesta tradução vemos a primeira estrofe ser retomada na 
quinta estrofe, o verso inicial, porém, é completamente 
diferente. Isto é porque o 'simplesmente' inicial significa que 
não houve nada de extraordinário, e o 'encontrei' quer dizer 
mesmo 'conheci', pois não é um reencontro. Então deixei que 
ficasse ali o "acabei de te conhecer". 

Já o último verso "Revivamos o passado", não é tradução de 
"Reprends moi", que está mais para o "Reviens moi ", mas eu 
entendi que a intenção global seria esta, de continuar a coisa.  

   *   *   *   

Agora, a versão brasileira, composta em 1943 por Armando 
Louzada e gravada, por Carlos Galhardo,  no mesmo ano, 
também tem estrofes desprezadas pela grande maioria dos 
intérpretes que a regravaram. por isso transcrevo-a aqui, com 
link no título para a gravação original carregada no You Tube. 

FASCINAÇÃO
Marchetti - Armando Louzada

"Os sonhos mais lindos sonhei 
De quimeras mil um castelo ergui 
E no teu olhar 
Tonto de emoção 
Com sofreguidão 
Mil venturas previ. 

O teu corpo é luz, sedução 
Poema divino cheio de esplendor 
Teu sorriso prende, inebria, entontece 
És fascinação, amor! 

A sorrir, a cantar e a beijar
nossas bocas se uniam então
e os campos sorrindo viviam
e nos vendo as flores se abriam.

Mas um destino mau certo dia chegou
e sem o teu, o meu coração secou.

Hoje sombra sou do que fui 
Minhas ilusões o destino levou 
Nada mais existe, 
Desde que partiste 
Em meu coração 
Só saudade ficou. 

Vivo com o passado a sonhar 
Vendo-te ainda em meu coração 
Mas tudo promessa, 
Quimeras, mentiras 
De tua fascinação.” 

    *   *   *    

Como vemos, é uma belíssima construção do Louzada, tendo, 
inclusive, o verso que me inspirou o soneto "Castelo": 
"De quimeras mil um castelo ergui". 
Com a diferença que o 'meu' castelo nem chegou a ser 
completado. 

Está aí uma bela valsa, com melodia e letra mais que 
centenárias, e que continua espalhando sua beleza sem 
perder o viço. 
Mas, pelo amor de Deus: NÃO É MÚSICA NORTEAMERICANA! 

Abraço do tesco. 

3 comentários:

Anônimo disse...


Tesco Adorei as informações!
Como sempre aprendendo com você.
hiscla

Anônimo disse...

Digo o mesmo querido Tesco. Você é uma enciclopédia ambulante.
Beijotescas

ॐ Shirley ॐ disse...

Não tem jeito, tesco, digo sempre a mesma coisa...Lembrei de novo, do meu pai...
AH!Aquela Redondilha Maior, deixada lá, é linda demais, adorei rs!
Beijos, tesco!