TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

quinta-feira, 24 de julho de 2014

CONTRACANTO: ASSIM ESPERAMOS

Eis mais um comentário-poema que me foi inspirado pela 
visita ao blog da Shirley

O poema da vez fala de uma personagem que se mostra 
dividida: Ora quer desfazer-se de si mesma, como poeira do 
universo, ora quer, simplesmente, chegar até seu amado e 
declarar-lhe seu amor. 

Parece-me uma situação típica de um ser enamorado, que 
não reúne as condições necessárias para concretizar suas 
intenções, não importa quais condições sejam estas. Tanto 
pode se tratar apenas de uma adolescente tímida, quanto de 
uma mulher madura afastada pela distância física do ser 
amado. Pode também tratar-se de uma distância emocional, 
aquele famoso caso de "quem eu quero não me quer...".  
Sabe-se lá: Em amor tudo pode acontecer! 

Vejam o dilema existencial, bastante emotivo, construído por 
nossa querida poeta: 

"ASSIM ESPERO
Shirley

Às vezes
 gostaria de desintegrar-me
no seio do Universo
porém
sou sensata
lógica
consciente
e opto pela vida...
O que eu queria mesmo
era ter asas de borboleta
irisada de cores
a pousar sobre a tua pele
e em jubilosa paz interior
tomar-te em meus braços
e falar do meu amor..."

Shirley, 2014.06.21-

   *   *   *   
O comentário parece misturar as situações, destinando-se 
tanto à protagonista do poema quanto à autora, uma vez que 
a "estrela-menina" citada 'espalha sua arte' como um sol em 
um sistema planetário (um blog?). 

De toda a maneira, o admirador parece sentir-se inibido pela 
presença de 'planetas' rivais e, só a custo, mediante injeções 
imaginativas de incentivo, consegue falar de seu amor. 

Vejamos se a construção reflete bem o poema comentado: 

"EU TAMBÉM 

Não podes desintegrar-te 
És estrela de um sistema 
E eu com os outros planetas 
Orbito em volta de ti! 

A atração sentimental 
tão forte quanto segura 
Segura a matéria escura 
Que tua luz ilumina. 

Então, estrela-menina, 
Tua sina continua 
Espalhando essa luz nua 
Que vem em forma de arte. 

Tua sensatez e lógica 
Atropelam minha calma 
Mas com tais asas diáfanas 
Tu invades minha alma 

Pousas em meu coração 
Sussurras um doce trino 
Atiçando a ousadia 
De falar do meu amor... 

     *   *   *   

Resta o enigma: À quem o poeta se refere? 
À personagem? À autora? Ao poema? Ao amor?  
Deixemos os enigmas pra serem solucionados depois. 
O importante é ver a beleza para onde quer que volvamos 
o olhar. O importante é ver poesia! 

Abraço do tesco. 

2 comentários:

Denise disse...

Importante, sim, ler essas pérolas que falam de amor. Ter a sensibilidade de senti-lo, de manifestá-lo, seja em formato literário, ou qualquer outra. Na verdade, o mundo está carente de amor. Muita paz!

ॐ Shirley ॐ disse...

Estou sorrindo aqui, agora, tesco, ao pensar nos incontáveis ângulos que um poema apresenta, para que seja "decifrado" rs. E quando a mente do leitor é pródiga como a sua, então, percebe nuances que nem mesmo o autor tinha percebido. É muito interessante.
Aquele abraço!!!