TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

segunda-feira, 27 de abril de 2015

PSEUDO-CIÊNCIA

A Astrologia é considerada pela ciência oficial como uma das 
pseudo-ciências. 

Ora, a ciência utiliza como ferramentas a estatística e a Lei 
dos Grandes Números (que diz: Perante uma grande quantidade 
de dados, determinados fatos terão maior probabilidade de 
ocorrer). 

Também, o mais novo ramo científico, a Física Quântica, nos 
afirma: 
"As coisas sólidas não são 'coisas', mas apenas um feixe de 
probabilidades". 

Então vejamos como funciona a astrologia: Ela não produz os 
fatos, assim como um relógio não produz as horas. O relógio é 
apenas um indicador da maior probabilidade de o evento que 
aponta estar sincronizado com um ciclo maior. 

Assim faz também a Astrologia, indica a maior probabilidade 
de eventos menores - pessoais, históricos, globais - estarem 
em sincronia com um ciclo maior, no caso, o ciclo dos astros 
girando no sistema solar. 

Como sabemos, os planetas completam seus percursos, que 
são de diferentes extensões, com diferentes velocidades, em 
tempos diferentes. E, devido a suas órbitas elípticas, guardam 
entre si, diferentes distâncias, de acordo com sua posição na 
órbita. 

Dessas variadas relações entre esses corpos celestes entre si 
e com a Terra, a Astrologia deduz maiores probabilidades de 
acontecerem determinados eventos, ocorrerem determinados 
fenômenos, e as pessoas agirem com determinados padrões 
de comportamento. 

Para isso, a Astrologia se utiliza das mesmas ferramentas 
citadas anteriormente: Estatísticas e Lei dos Grandes Números. 
A tradição sobre os aspectos planetários e sua posição em 
relação à constelações (faixa zodiacal) deve ser vista como 
o arquivo estatístico disponível para suas finalidades. 

Deste modo, o epíteto de pseudo está mal aplicado, no 
máximo, se poderia chamá-la de "ciência restrita", pois lida 
com os aspectos psicológicos do ser humano, que é algo 
ainda irredutível a padrões matemáticos. 

Mas, na verdade, 'restritas' ficam melhor aplicadas às ciências 
físicas, que se atém somente à porção material de todos os 
seres, ignorando o aspecto espiritual, que é imensamente 
maior. 

Abraço do tesco. 

6 comentários:

ॐ Shirley ॐ disse...

Bem... Há muito a ciência aceita o fato de que os raios solares, os raios cósmicos, influências da lua e de outros planetas afetam a vida e as emoções humanas, além de causarem manifestações físicas na Terra.
O Sol tem maior influência sobre a nossa vitalidade, enquanto a Lua tem seu maior efeito no lado mental e psíquico da vida.
Todos conhecem a influência da Lua nas marés, na procriação das baleias, etc, etc.
Ótimo assunto e muito a se dizer, mas, agora receba um abraço do "feixe de probabilidades" que vos fala, rs.
Kiso!

Anônimo disse...


Tesco, parece natural isso não?
somos organismos vivos, nada mais natural que essa interação¹
concorda?
hiscla

tesco disse...

Não é tão natural não, hiscla.
Dizer que 'Plutão, na sexta casa, lhe facilitará
ganhos de ordem material' não é tão natural
ao se pensar que um corpo rochoso, sem indícios
do que normalmente chamamos vida, aqui na Terra,
e situado a mais de 5 bilhões de quilômetros,
estará influenciando o meu salário!
Tudo isso carece de uma boa e rigorosa análise.
Beijos.

Anônimo disse...

A utilização de métodos científicos para a medição de movimentos de corpos celestes não serve para estabelecer relação de causa e efeito entre movimentos e posições destes corpos e eventos das vidas das pessoas.
Manoel Carlos

tesco disse...

Exatamente, Manuel, a posição dos astros
não é causa determinante de nada.
Porém, nada impede que seja tomada como referência.
Assimcomo na Astronomia a posição aprente
de uma estrela mais distante serve para medição
da paralaxe de um astro mais próximo.
Tudo é 'reciclável'.
Abraço.

ॐ Shirley ॐ disse...

Bem, ninguém está confundindo esse maravilhoso e científico assunto, com...horóscopo, não é? Ah! bom...

kisojn rs!