TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

DANDO A MÃO À PALMATÓRIA

Confesso que me equivoquei em algumas considerações. 

- Sim, estou arrependido! Minha culpa, mjnha culpa, 
minha máxima culpa... 

Que é isso, Álter?! 

- Estou ajudando a descarregar o peso da sua consciência. 

Não precisa esse exagero, não é esse crime todo. Aliás, 
você nem sabe do que se trata! 

- Ah, é! Tem isso. 

É que sempre fiquei escandalizado com a atribuição da 
origem da democracia aos gregos. 

- Ué! Mas a democracia não veio de lá? 

Sim. Mas o que era essa democracia? Fala-se só de uma 
cidade: Atenas. Quase a metade de sua população era de 
escravos, que não podiam votar. Estrangeiros, residentes 
na cidade (mais de 20% da população), também não 
votavam. Mulheres e menores de 20 anos estavam 
excluídos desse exercício de cidadania, o que resultava 
em que apenas 10% da população era votante. 

Assim, com essas restrições todas, eu minimizava a 
importância dessa 'democracia' ateniense. Achava que 
os historiadores exageravam em sua exaltação. 

- E agora não pensa mais assim? 

Não, decididamente vejo razão nos historiadores. 

- E o que houve pra acontecer essa 'metanoia'? 

Ei! Tem lido esoterismo, ultimamente, também? Mas foi 
o que aconteceu, realmente, uma mudança de pensar, 
pois encaixei o fato no seu devido contexto. A inovação 
grega foi, não apenas no âmbito local, mas em todo o 
mundo, algo verdadeiramente inédito! 

Até então, em qualquer registro histórico conhecido, o 
poder de decisão se concentrava num único homem: 
O rei, chefe, tirano, ditador, cã, cacique, ou qualquer 
outro nome que lhe deem. Quando muito, havia um 
grupinho mancomunado em torno desse centro de 
poder, influenciando nas decisões, mas nada de povo, 
naturalmente. 

- E daí? Pelé já disse que o povo não sabe votar! 

E daí que saiba ou não votar? A diferença é ter o próprio 
destino nas mãos ou não. E quem garante que um apenas 
saiba decidir os destinos de um povo? Na antiguidade 
toda monarquia era absolutista, e ainda tinham o apoio 
da classe sacrdotal, que os revestia com a "aprovação 
divina", quando eles mesmo não eram 'encarnaçao de 
um deus', como acontecia no Egito. 

- Então mudou alguma coisa na administração política 
dos povos... 

Certamente, e mudou muito. Os erros continuam 
acontecendo, o papel do dirigente ainda não foi 
entendido,  nem pela maioria do povo, nem pelos 
governantes, estes são apenas administradores, não 
deuses. Mas já se nota uma maior conscientização das 
pessoas quanto à condução de suas vidas. 

- Tá certo. Então me diga algum evento refletindo essa 
mudança, pra que eu possa me situar. 

Ora, a Revolução Francesa, a Revolução Russa, os vários 
movimentos de independência de colônias são exemplos, 
comumente sangrentos, de um anseio de autonomia, 
insuflados pela existência da democracia. Verdade que 
muitos desse movimentos descambam para uma 
monarquia ou uma ditadura, mas é já um florescer de 
um sentimento democrático. 

Com isso quero dizer que errei ao não considerar como 
uma grande, se não a maior, contribuição da civilização 
grega ao mundo, a noção e a prática da democracia. 

Abraço do tesco.  

3 comentários:

Denise disse...

Suas considerações são muito pertinentes. Quanto à democracia, estamos vendo crescer as criticas, através da internet. Assim tb como crescer a consciência dos eleitores, basta ver que algumas pressões estão tendo resposta, como a lei do ficha limpa. Há muito ainda para ser feito. A sementinha foi dos gregos. Muita paz!

Anônimo disse...


Tesco, existe uma teoria de que todo o povo que adotou democracia, sucumbiu. Os povos que tiveram governos teocráticos ou ditadores de outro tipo, progrediram. E, também em minha casa toda vez que fui democrática só perdi noutros aspectos.
Quanto aos gregos de Atenas valorizavam o discurso, a retórica e as decisões tomadas em assembleia, sem os escravos. E a escravidão é era nada parecida com a que conhecemos por aqui..
em resumo, não sou democrática, alguém já disse que isso se aproxima da incompetência.
Assim como o socialismo não dá certo não considera o egoísmo, a sede de poder, a vaidade humana..a democracia não dá em nada pois com tanto respeito ao outro todo mundo acaba fazendo o que quer!O que é bom para a abelha não tem que ser bom para a colmeia?
Hiscla

tesco disse...

hiscla, considerando que você deve ter bebido, pra misturar tanto, não vou entrar em detalhes no seu questionamento.
Digo apenas que, a teoria citada por você, não existe: A maioria das nações da atualidade são semocracias.
Quanto a adotar democracia em casa, depende muito dos "cidadãos" co território, criança deve ser tratada como criança, e os que ainda tem mentalidade de criança, também não podem assumir os direitos de uma democracia.
Beijos.