TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

ZÉ MANÉ

Ainda sem cirurgia marcada, ainda por regularizar a glicemia, 
ainda comendo pouco (porque o olho é maior que a cara), 
ainda lendo muito e ainda sem wi-fi regularizada. 

Mesmo assim, deu-me vontade de contar uma historinha. 
Totalmente fictícia, claro, mas para mim, contendo o germe 
de uma tendência humana: 
A "arte" de se engambelar por títulos! 

   *   *   *   

Imagine que nosso caro amigo José Manoel, naturalmente 
conhecido por todos como Zé Mané, faleceu, isto é, bateu as 
botas, bateu a caçuleta, finou-se, passou dessa pra melhor, 
empacotou, virou presunto, 'mórreu', ou, mais propriamente, 
desencarnou. 

Não cabe aqui dizer por quais méritos ou deméritos, viu-se 
jogado num lugar escuro, mal-cheiroso, frio, onde sofria fome 
e sede. Imediatamente resolveu fazer valer sua devoção e 
apelou para "seu padim Pade Ciço Romão Batista" e, como 
este não lhe fez ver os seus préstimos, clamou por 'JesusCristo', 
que também demorou a se fazer ouvir. 

Passado algum tempo, chamava por Deus e pedia para vir 
tirá-lo "desse lugar orrive"'. Eis que, não demora muito, vê 
surgir ao longe uma luz, que vem se aproximando. 

Vem chegando, vem chegando e ainda não vê perfeitamente, 
mas já distingue a forma de uma pessoa. Então exclama: 

- Meu Deus, já vem o Sinhô sarvá esse pobre miseráve! 

Aí ouve uma voz lhe respondendo: 

- Eu não sou Deus! 

Replica então: 

- Mas o Sinhô num é Jesus? É a merma coisa! 

A voz rebate: 

- Eu não sou Jesus! 

Sem distinguir semblante, vendo apenas o vulto luminoso, 
arrisca um palpite: 

- São Pedo? 

- Nada de São Pedro, responde a voz. 

Baixando a suposta hierarquia, arrisca outro santo: 

- São Binidito? 
Um santo negro é naturalmente um santo menor, na sua 
concepção, mas ainda é um 'Santo'. 

- Não sou santo nenhum. 

"Eita, um home luminoso desse e num é um santo? 
Deve de ser argum esprito de luz, cuma dizia Dona Glora, 
lá do centro esprita". 
Pensando assim, arrisca mais um nome, que se lembrava
de 
ter ouvido "Dona Glora" falar. 

- Bezerra de Meneze? 

- Não, meu irmão - esclarece o vulto - eu sou Zé da Farinha, 
que toda semana você encontrava lá na feira. 

- Ôxe! Zé da Farinha? Qué qui tu tá fazendo aqui, home? 

- Vim lhe resgatar, meu irmão, quero levar você para um lugar 
melhor.

- Vôte! Vou nada! Tô isperano um santo quarqué pra me levá 
pro céu, e me aparece um Zé da Farinha? Tu tá lá no céu? 

- Não, no céu não, mas comparado com isso aqui, qualquer 
um ia querer se mudar. 

- Apois eu num quero i não. Prefiro isperá um pôco mais, 
Quarqué hora chega um santo aqui e pregunta: Cadê o Zé 
Mané? E eu num tô. E aí? 

- Mas meu irmão... 

- Não, num quero cunvelsa, daqui num saio, daqui ninhum
Zé 
da Farinha me tira. Sei lá se é o capeta disfalçado... 

   *   *   *   

E lá ficou o Zé Mané. 
Sem nenhum discernimento, sem raciocínio claro, sempre se 
deixando guiar pelos "dotô", se maravilhando com os títulos 
terrestres. São os Zés Manés que votam num "Chiquinho do 
Coronel Fabrício" apenas porque o Prefeito mandou. 

É triste e lamentável que, mesmo depois de ultrapassado o 
portal denominado morte, esses nossos amigos se recusem a 
exercitar o raciocínio, só se curvando perante títulos  que não 
têm valor real. 

Dizem que Zé Mané ainda está por lá... 

Abraço do tesco. 

6 comentários:

ॐ Shirley ॐ disse...

Pois é, tesco, a maioria das pessoas acha que quando alguém morre, deixa todas as dores, doenças, ignorância, para trás... Ledo engano, vai tudo junto com ela, por muito tempo. Como disse Hermes Trimegistus, "Como é encima, é embaixo".
Aconteceu com o Zé Mané... Chegou lá, ligado ao mundo das aparências.
Bem, tesco, fique bom logo, use os seus poderes mentais para afugentar a doença. Não duvide. Você pode!
Deus o proteja, kiso!!!

Hecta disse...


Tesco, Apontando sabedoria como sempre...
Mas bom mesmo é saber de voce, das coisas...
Vc precisar ficar bem..

hiscla

Clara Lucia disse...

Vida de gado, meu amigo, como tantos outros que acham que o milagre vem do título. Povo marcado, ê, povo feliz. Não sabe nem distinguir o que merece ou não, apenas anda em bando, como se fosse a voz de Deus lhes guiando. Aliás, em que horas a voz do povo se tornou a voz de Deus?
Melhoras, cuide-se, resista às tentações... Uma vida linda e longa o aguarda!
Beijos!

CÉU disse...

Olá, meu querido amigo!

Você continua esperando a cirurgia, até que os valores de açúcar no sangue fiquem normais, ou pelo menos, aceitáveis.
Há muita coisa que você pode fazer para o tempo ir passando mais depressa, e uma delas, talvez das melhores, é ir, postando, de vez em qdo.

Como sempre histórias simples, cheias de humor e com uma conclusão a tirar. Adorei a linguagem, os regionalismos usados no seu escrito.

É assim, tesco! Tanto na vida, qto na morte, os títulos académicos, a importância social, o XPTO, como se diz por cá, continuua sendo o mais importante. Até quando?

Um beijo com saudades suas e da nossa interação.

Denise disse...

Como ainda nos apegamos às aparências! Não só de títulos, mas qualquer coisa que pensemos ser o outro melhor do que a gente. Quando entendermos que somos apenas seres diferentes, viveremos bem melhor. Muita paz!

Carmem Grinheiro disse...

Olá, meu caro tesco.
Andei sumida, pois o tempo levou-me...
Acredite que ainda ri aqui a ler sua história, lembrou-me os escritos de Fernando Sabino. Para quem está mal, a veia humorística não lhe fugiu.
Aliás, com que então o amigo andou a se meter em trabalhos com dores e maleitas? Não lhe invejo a sorte. Desejo-lhe, do fundo do coração, que se restabeleça.

abraço