TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

DE TRÁS PRA FRENTE

Pouca coisa me surpreende atualmente, sempre lembro dos 
versos de Zé Limeira, cantador paraibano: 

"São José já me dizia 
Você tem que ver de tudo 
Cachorrada, safadeza, 
Home macho cabiludo. 
Você vai ver em Campina 
Muié da carça tão fina 
Que a gente vê o veludo!" 

Então, baseado nisso, preparei o espírito, e não é qualquer 
"vai-num-vai" que me pega desprevenido.

Ultimamente, porém, a coisa anda tão fora 'dos esquadros', 
que eu fico 'maginando' que, em algum lugar, um mecanismo 
qualquer deu 'revestrés' e o encarregado da manutenção, 
não viu! 

Tenho lido vários e variados romances policiais: Intricados 
casos resolvidos por Sherlock Holmes, Hercule Poirot, Nero 
Wolfe, Sam Spade, Ellery Queen, Padre Brown e, até mesmo, 
casos do futuro e/ou do espaço, bolados por Isaac Asimov. 

Não lembro, contudo, de alguma investigação que tenha 
paralelo com a situação vivida pela Polícia Federal no Brasil: 
Já conhecem o criminoso, estão se esforçando para encontrar 
o crime! 

O criminoso todo mundo já sabe que é Lula. Achar o crime é 
sue está sendo mais difícil que os doze trabalhos de Hércules. 
Já se aventou um sitiozinho mixuruca no interior, apartamento 
em zona de praia e, pasmem, até um par de pedalinhos foi 
olhado com olhos maldosos! 

O problema se agrava porque há um prazo pra incriminação: 
Final de 2018 tem eleição para Presidente da República e o 
homem é favoritão! 

Sabemos o enredo da novela, o que falta definir é o gênero 
da trama (ou tramóia): Não se encaixa no romance policial 
clássico, será comédia ou é puro realismo fantástico? 

Abraço do tesco. 

2 comentários:

Érika Oliveira disse...

Tuudo manipulado. Acredito ser fácil fácil ele se reeleger.

Anônimo disse...

A nossa justiça sempre foi caolha....só vê e julga o que quer e como quer....A reforma do judiciário é tão importante quanto a reforma política. Claro para variar existem exceções. Acredito que um investimento forte na educação , digamos completa, não somente gramática, aritmética, ajudaria muito no discernimento..... Chico Fgueiredo