TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

domingo, 28 de setembro de 2014

PRESENÇA DO CHICO


Sem poder me estender muito, por estar em computador 
emprestado, não posso deixar de me manifestar sobre o livro 
apresentado no sortesco hoje. 

Algo que me chamou a atenção, foi o fato de alguns espíritos 
revelarem não só o reconhecimento da situação, mas a 
justiça do acontecido. Pincei estes exemplos: 

No item 4 - "Mensagem de Sarah à sua filha Marieta Milene": 
""O carro caiu do alto, subtraindo-nos a vida física, 
porque isso era o melhor que nos podia acontecer". 
Sarah Buganeme, desencarnada em acidente automobilístico 
próximo a Pnta Grossa-PR, em 1969. 

No item 7 - "Um filho que volta":
"Aconteceu comigo o melhor que eu podia ganhar da Providência". 
(Alberto Duarte, afogado em Mongaguá-SP
, em 1969). 

No item 23 - "Depoimento de Argemiro Acayaba de Toledo": 
"Tenhamos calma e resignação, O que passou foi a lei a 
cumprir-se. [..] Foi a dívida do passado que surgiu na máquina 
em movmento." 
William José Guagliardi, desencarnado em 1960, quando o carro 
caiu no Rio Turvo (São José do Ro Preto-SP), e ele se afogou. 

No item 24 - "Wálter, vítima de brutal atentado, regressa do Além": 
"Não pensem mais nisso. O suceddo estava previsto. 
[...] Devia e resgatei. O passado chamou e respondi 'presente"[...] 
Que restava a mim, espírito endividado, senão regozijar-me com 
a oportunidade de saldar velhas contas?" 
(Apenas data em 1969, não cita local nem nome completo). 

No item 25 - "Um filho de retorno": 
"Não sofro senão por vê-los não desesperados mas abatidos , 
como se a vida devesse parar porque mudei de situação." 
Cláudio Luiz, desencarnado em desastre automobilístico, Santo 
Amaro-SP, em 1969. 

Bom para esses espíritos, que entendem bem o que está se 
passando. Mas nem todos têm entendimento de que estão 
resgatando faltas anteriores. Porém, manter a confiança em 
Deus, e ter a certeza que sua justiça não deixou de se fazer 
sentir, é muito importante para o bem-estar do desencarnado. 
É o que nos mostra o caso seguinte, em que o desencarnado 
consola sua ex-noiva: 

No item 31 - "Não culpem o médico": 
"Contudo, Marina, antes de nós está Deus, Deus que é a Lei 
a  presidir-nos a vida. 
Sabe assim o Senhor porque devia deixar meu corpo quando 
esperava continuar. 
Ainda não pude assentar ideias." 
Anélio Gulbertoni, desencarnado em 1961, após cirurgia de 
úlcera, em São paulo. 

O fato da noiva se chamar Marina é apenas coincidência. 
(Ou não?). 

Assim, quando morrermos, seja em que situação for, mesmo 
que não compreendamos algum detalhe, não abandonemos a 
fé na Justiça Divina, que ao contrário da justiça terrena, 
nunca falha! 

Abraço do tesco. 

5 comentários:

Clara Lucia disse...

Se não tivéssemos tais dívidas não sofreríamos tanto, uns mais, outros menos. seríamos praticamente iguais.
A vida dá medo, a morte dá medo, e viver acima desse medo é o grande segredo.
Boa semana!

Anônimo disse...


Bom dia Tesco, tudo bem?
Espero que sim. Achei muito interessante seus comentários e mais interessante ainda saber quem o escreveu o documentário. Elias Barbosa é medico renomado por aqui no trato das doenças da espirituais e da psique. é psiquiatra e muito de nós (dessa região) frequenta (frequentava) seu consultório.
Quanto ao tema apresentado é muito interessante e vejo como um grande alento à nossa vida tão perene e cheia de vissicitudes. Eu, pessoalemente, deveria acreditar sem pestanejar, pois isso acalmaria as dores das minha próprias perdas.
Não creio cegamente, mas também não sou cética.
Apenas não tenho certeza.
abraços
Hiscla

ॐ Shirley ॐ disse...

Vou citar uma frase conhecidíssima: " Nada acontece por acaso".
Beijos, tesco!!!

Denise disse...

O trabalho de Chico Xavier no consolo àqueles que perderam entes queridos foi magnífico. Além das cartas, Chico lhes doava seu amor e compreensão, sendo que em muitos casos, ele abraçava os parentes que sofriam com a falta do ser querido e chorava junto com eles. Chico é o exemplo da bondade e de que podemos ser melhores, sim. Muita paz!

Anônimo disse...



Muito interessante, Tesco, os comentários!
hiscla