TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

domingo, 4 de maio de 2014

OS DEGREDADOS

Dentre as orações que me foram ensinadas na infância, o 
Pai Nosso e a Ave Maria foram aprendidas, e o Credo, só 
parcialmente decorado. A Salve Rainha não me foi imposta, 
porém, ouvia-a sempre nas missas e no rádio. Eu era 
obrigado a acompanhar minha mãe à missa dos domingos 
e, sempre se ligava o rádio durante as audições do Terço, 
- para mim, monótonas e intermináveis - mas dela apenas 
memorizei o "vale de lágrimas" e "os degredados filhos de 
Eva". 

Essa semana caiu-me nas mãos um folheto "Como rezar 
o Terço", que repousava entre guardados diversos, como 
recortes de jornais, mensagens espíritas, prescrições de 
dietas, e outras coisas. 

Daí, fui dar uma olhada naquela oração, localizo os tais 
palavreados, e constato que aí há uma afirmação intrigante: 
Aparentemente, "os degredados filhos de Eva" ssomos 
nós, a humanidade. Porém, os filhos de Eva não foram 
degredados, eles já nasceram fora do Paraíso, nunca 
moraram lá. Como ser degredado de um lugar em que 
nunca se morou? 

E insistem: "...e depois deste desterro...", claramente uma 
argumentção falsa. Os filhos de Eva têm seu nascimento 
anunciado no capítulo 4 do Gênesis, e o casal já havia 
sido expulso no capítulo 3. 

Podem contradizer: 
- Mas, se Adão e Eva não tivessem sido expulsos, nós 
estaríamos morando lá. 

Nada mais duvidoso! Cerca de vinte a vinte e cinco anos 
depois da expulsão, Javé-Deus resolveu expulsar Caim das 
vizinhanças do Paraíso, devido ao assassinato de Abel. 

Tornam os contraditores: 
- Mas isso foi decorrente da expulsão original. Adão e Eva 
transmitiram o pecado aos seus filhos. 

Argumento sem lógica, este. Não se conhece nenhuma 
transmissão hereditária nesse aspecto. Além de que, se o 
primeiro casal ainda morasse no Paraíso, a serpente ainda 
estaria por lá também, e os descendentes de Eva sofreriam 
sua sedução, e nada leva a crer que agissem de um modo 
diferente do de Eva. 

Definitivamente não, os filhos de Eva não foram degredados! 
Agora, se a alegoria cobre uma trama puramente espiritual, 
com o degredo, não de um jardim na Terra, mas de um 
outro mundo, seja do sistema Capella, ou de qualquer outro, 
tudo se torna inteligível. 

A teoria espírita, colocando a responsabilidade sobre os 
ombros de quem pratica a ação, coloca também os pingos 
nos 'i's, e tudo fica aceitável pela razão. 

De qualquer maneira, a misericórdia suplicada não pode ser 
uma dádiva sem merecimento, fica condicionada ao sincero 
arrependimento e à séria disposição de reparar os males 
causados. 

Dirão: 
- Deus é grande, oferece misericórdia sem retribuição. Não 
é preciso esforço de nossa parte, tudo é a Graça de Deus! 

Claro, Deus não pede pagamento, Ele não precisa dos 
nossos favores. Todo o esforço que fizermos será para 
nosso próprio favor. Afigure-se um náufrago lutando com 
bravura para permanecer à tona, mas sem largar sua carga 
de 25 kg de ouro! Assim estamos nós, não temos que 
entregar o ouro a Deus, e sim temos que lhe dar adeus! 

Abraço do tesco. 

15 comentários:

Anônimo disse...


Pois, tesco

Acho que essas frases "truncadas", "ocultas" dificultam em muito a crença dos que usam a razão, fazendo a igreja católica perder fieis. Muito ruim fazer uma oração ou elevar a mente aos céus sem compreender o que diz ou que faz. Mas isso tb é estratégia antiga da igreja para impedir que o leigo tivesse acesso aos saberes mais elaborados.Lembra-se da missas em latim? , pois creio que tenha o mesmo principio...
hiscla

cynthia disse...

essa do salve rainha conheci pois uma ex-chefe sempre rezava pai nosso, ave maria credo e salve rainha antes de começarmos o expediente... mas nunca cheguei a decorar. essa parte do gemendo e chorando me incomodava. aliás, toda ela é muito "dolorida"!

Anônimo disse...

Sou ateu e não sou advogado, mesmo assim ouso palpitar: e se a pena de degredo imposta a Adão e Eva atingisse seus descendentes como era comum até mesmo no Brasil Colônia?
Manoel Carlos

Anônimo disse...

Tesco, com todo carinho e respeito, toda a Bíblia é um livro de Mitologia. Só isso.
Beijotescas

Denise disse...

Tesco, sou espírita devido à logica da doutrina. Estudo bastante. A linguagem bíblica é alegórica e como bem coloca vc, o degredo é de Capella. Sendo muito bem explicado por Emmanuel no livro A Caminho da Luz. Quanto às preces, prefiro fazê-las de acordo com meus sentimentos, sem seguir "receitas". Muita paz!

ॐ Shirley ॐ disse...

E na Ave Maria, você já pensou, tesco? Recito a parte final dessa oração assim:
"Santa Maria
mãe de Jesus
rogai por nós seus filhos
agora e na hora de nossa passagem, Amém".
Acho melhor assim, pois, Deus não tem mãe.
Beijos e muita paz!

tesco disse...

Realmente,hiscla, é o mesmo princípio. Já bem antes de Lutero, traduções da Bíblia em língua popular (espanhol, catalão) foram queimadas. A Igreja Católica sempre recusou passar para o homem comum o poder de decidir o próprio destino.
Beijos.

tesco disse...

Bota "dolorido" nisso, Cynthia, com "A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas.", não tem Maria que resista! Risos.
Beijos.

tesco disse...

Caro Manoel; quanto à hereditariedade das penas não ponho obstáculos, é uma cruel tradição humana.
Mas, quanto a chamar isso de 'degredo', finco pé: Podem chamar de 'não validação do passaporte', 'negação do visto de entrada', 'embargo fronteiriço', ou qualquer coisa similar.
Mas degredo é que não é.
Se alguém pretende ingressar num país onde nunca esteve, e é impedido pela guarda da entrada, ele nunca será um degredado, a menos que entre lá.
Abraço.

tesco disse...

Não. Yvonne, não é TODA a Bíblia. Poderia lhe responder aqui, mas ficaria muito longo, por isso, acho melhor explanar minha opinião num post futuro.
Beijos.

tesco disse...

Isso é muito bom, Denise, adotar uma doutrina lógica e seguir um comportamento lógico, é muito coerente, além de lógico.
E a receita de oração foi dada com o "Pai Nosso", pelo próprio Jesus, o que não impede que adicionemos nosso
"tempero" ao prato básico.
Beijos.

tesco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
tesco disse...

A "Ave Maria" é apenas uma saudação de um mensageiro espiritual a Maria, Shirley, não e, basicamente, nenhum modelo de oração. Foi instituída como oração pela Igreja Católica, que lhe adicionou o trecho final conforme sua equivocada ideologia (ou teologia, como queiram).
Não faço orações a Maria, mas creio que ela não deixará de me auxiliar, quanto puder, por isso.
Beijos

cynthia disse...

a ave maria eu adaptei igual à Shirley ! muito mais lógico, pelos motivos que ela já evidenciou!
beijos!

Clara Lucia disse...

Tesco, vc como sempre nos mostrando o que fazemos automaticamente sem prestar atenção. Confesso que já pensei nessas frases das orações, mas como é de costume orá-las sempre, todos os dias, melhor não mexer do que existe há milênios...
Mas aí o senhor vem nos mostra que não é bem assim. E não é mesmo. Concordo com vc.
Por outro lado, penso sempre que tanto a Bíblia quanto as orações foram escritas por homens, como nós. Então, é por aí! Homens comuns como nós, pecadores, filhos de Eva que comeu a maçã e foi expulsa.
Na Bíblia há várias passagens que fico pensando se é isso mesmo. Mas nunca fiquei investigando se é ou não...
Coisa de gente curiosa que não se contenta só com o Amém!
É isso aí, gostei muito!
Beijos