TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

domingo, 4 de novembro de 2012

ÃUTISMO


O autismo é uma disfunção no desenvolvimento do indivíduo
que é, principalmente para um leigo no assunto, como eu,
muito difícil de definir.


Muitos pensam que é sintoma de retardamento, ou mesmo
indício de baixo QI. Não é. Podem até coincidirem estes
aspectos numa mesma pessoa, mas não existe nenhuma
relação causal conhecida. 


Como principiante no assunto, eu diria que é, basicamente,
uma alteração na capacidade de comunicação.


Se você, leitor, tem conhecimento e/ou experiência nesse
assunto, pode meter sua colher de pau nesse mingau, que
eu estou chegando agora.


Até o mês passado, o que eu conhecia sobre autismo poderia
ser sintetizado numa tabuleta de "Fechado para o mundo!",
e minha única experiência era o trecho do filme "Amargo
pesadelo" (Deliverance, 1972), em que é exibida uma bela
sequência de colaboração entre um banjo e um violão.


Estas cenas foram difundidas como sendo uma ocasião em
que um autista sai de seu casulo através de execução de seu
banjo, mas leio no blog "Crônica autista" , que se trata de um
"hoaxe", uma enganação proposital, que o autista do filme é
um "!falso autista" e que houve uma trucagem no filme.
Mas não deixa de ser uma bela sequência por isto.


Fui convidado a entrar nesse fascinante universo, que é a
mentalidade de um autista (cada cabeça é um mundo, já
diz um dito antigo), ao ler o livro "Não fala comigo!", de
Romulo Nétto.


Nesse livro, Romulo conta "a história de um autista", que é
o subtítulo, iniciando a narração numa situação angustiante,
como é a seca de alguns meses, ao lado de uma gravidez
de um quarto filho.


Esse quarto filho se revela um autista. Imagine-se todas as
expectativas de um casal em relação a um futuro filho, o que
rotineiramente não inclui deficiências, e a chegada de um
bebê com dificuldades extras. Não é coisa fácil em nenhuma
ocasião.


Aos poucos, justamente como é a vida, Romulo nos conduz
de uma quase tragédia para uma fase de superação dos
obstáculos ou, pelo menos, de contornação dos mesmos.


Num belo exercício de imaginação, o autor tenta reproduzir
os pensamentos do autista, tarefa que é um tanto mais difícil
do que expor pensamentos de uma pessoa comum, de vez
que um autista não vive confidenciando sua ideologia nem
seus projetos.


É um livro deveras interessante, tanto pelo tema pouco
comum, tanto prla fluência de Romulo Nétto, por isso
mesmo que esta ali, como objeto do sortesco 229.


Quem não for o ganhador, pode comprá-lo, que fará uma boa
aquisição.
Abraço do tesco.


5 comentários:

Anônimo disse...

Meu querido,
não é porque voce é leigo, é que autismo é um mistério ainda.
Aqui, nessa cidade, sou uma co fundadora da AMA e conheci muitas crianças e adolescentes autistas.
O processo de apdz se dá por condicionamento apenas, haveriamos de treinar o autista para o maximo que poderiam desempenhar sozinhos, para que ganhassem um pouco de autonomia em pequeninas tarefas cotidianas, pequeninas mesmo.
Como a disfunção é de verdade so temos hipoteses, e nada mais.
Espiritualmente, penso que há uma questão não so de comunicação, mas de almas que se fecham.
Uma vez, em tempos de espiritismo, cheguei a imaginar que isso acontece com pessoas MUITO EGOÍSTAS que na encarnação seguinte não conseguem ver o outro nem o mundo que o cerca. Isso não é uma teria, é apenas uma cogitação minha.
Penso que vivemos rodeados de autistas: pessoas que veem o proprio umbigo e o mundo interno que construiram sem se importarem com o redor e com os demais.
Nos dois casos é a mais pura ausencia de Alteridade!
hiscla

Anônimo disse...

E ainda, que tal o filme com Dustin Hoffman e Tom Cruise - Rain man, 1988?
è um show de arte e interpretação.
hiscla

Anônimo disse...

Lembro-me de dois outros filmes em que a imagem corrente de autista é, de certa forma, desmistificada, especialmente sobre inteligência.
Um deles é Rain Man, de Barry Levinson, com Dustin Hoffman e Tom Cruise. Neste filme o autista tem uma capacidade invulgar de contar coisas e fazer cálculos. O outro é Código para o Inferno (Mercury Rising),de Harold Becker, em que uma criança autista é capaz de resolver enigmas complexos a ponto de decifrar o código criptografado do mais sofisticado sistema de segurança militar dos EUA.
Sugiro que veja os dois filmes.

http://www.youtube.com/watch?v=ol4GgUC7_SA

http://www.degracaemaisgostoso.org/download-cdigo-inferno-dvdrip-xvid-dublado.html

Manoel Carlos

Um brasileiro disse...

Oi. Tudo blz? Estive dando uma olhada. Legal. Apareça por la. Abraços.

Rosangela disse...

Um blog tão legal, cheinho de informações dadas de forma tão pitorescas, típica de nordestino.
Gostaria de segui-lo pra não perder nenhum post. Como fazê-lo??